You are here

Morte de mulheres provocada por seu companheiro ou ex-companheiro

América Latina, Caribe e Península Ibérica (29 países): Morte de mulheres provocada por seu companheiro ou ex-companheiro, último dado disponível (Em números absolutos e taxas)
Mulheres acima de 15 anos vítimas mortais de seu companheiro ou ex-companheiro: número absoluto e taxa por 100.000 mulheres.

Análise

Os países latino-americanos que relataram a maior incidência de morte de mulheres provocada por seu companheiro ou ex-companheiro em 2020 são República Dominicana (1,0 por cada 100.000 mulheres), Paraguai (0,9 por cada 100.000 mulheres) e Honduras (0,8). Seis países relataram uma redução nas taxas de morte de mulheres provocada por seu companheiro ou ex-companheiro em comparação com 2019: Argentina, Honduras, Paraguai, Porto Rico, República Dominicana e Uruguai. Cinco países mantiveram as taxas do ano anterior: Chile, Colômbia, Equador, Nicarágua e Panamá, e somente na Costa Rica e El Salvador houve aumento nas taxas de morte de mulheres provocada por seu companheiro ou ex-companheiro.

No Caribe, as maiores taxas de morte de mulheres provocada por seu companheiro ou ex-companheiro em 2020 foram registradas em Granada (5,5 por cada 100.000 mulheres), São Vicente e Granadinas (5,5 por cada 100.000 mulheres) e Suriname (2,8). Nesta sub-região, quatro dos nove países e territórios com dados disponíveis para 2020 registraram um aumento na taxa por cada 100.000 mulheres de 2019 a 2020 (Grenada, São Vicente e Granadinas, Suriname e Trinidad e Tobago), embora o número de casos seja menor do que em outros lugares devido à menor quantidade de população que eles têm. Por outro lado, essa taxa diminuiu em três países (Antígua e Barbuda, Belize e Jamaica).