You are here

Morte de mulheres provocada por seu companheiro ou ex-companheiro

América Latina, Caribe e Península Ibérica (25 países): Morte de mulheres provocada por seu companheiro ou ex-companheiro, último dado disponível (Em números absolutos e taxas)
Mulheres acima de 15 anos vítimas mortais de seu companheiro ou ex-companheiro: número absoluto e taxa por 100.000 mulheres.

Análise

Pese a que existam dificuldade na coleta de dados referentes ao número e taxas de mulheres mortas por seu companheiro ou ex-companheiro na América Latina e Caribe, na maioria dos países da região este é o dado que se conhece com maior claridade.

O processamento deste indicador teve uma evolução muito significativa desde 2010, quando se inicia sua coleta por parte da CEPAL com sete países da América Latina, dois do Caribe e Espanha. Atualmente, conta-se com informação para 16 países da América Latina e 13  do Caribe, além de Espanha e Portugal.

Na maioria dos países latino-americanos, 2 de cada 3 feminicídios ocorrem no contexto das relações entre parceiros ou ex-parceiros, com exceção dos países do Norte da América Central, onde os feminicídios íntimos respondem por uma proporção menor do total de feminicídios.

Os países com maior incidência de feminicídio íntimo na América Latina em 2018 são República Dominicana (1,5 casos por cada 100.000 mulheres), Uruguai (1,4) e Porto Rico (1,2).   Por sua vez, no Caribe, as taxas mais altas durante o ano 2018 foram registradas em Barbados (3,4 por cada 100.000 mulheres), Belize (2,6) e Suriname (1,8).