You are here

Mulheres prefeitas eleitas

América Latina, Caribe e Península Ibérica (28 países): Prefeitas, último dado disponível (Em porcentagens)
Corresponde à porcentagem de mulheres eleitas como prefeitas para um período de governo municipal.

Análise

O crescimento da participação feminina na política no nível das prefeituras tem sido menor que em outras instâncias, e esses avanços têm acontecido em ritmo mais lento que em outras esferas de poder. A maioria dos países apresenta cifras abaixo dos 20% e a média regional chega apenas a 12.3% – isto é, somente 2.2 pontos percentuais a mais que a média de 2010 (10.1%).

Nicarágua é hoje o caso de maior êxito em termos de presença feminina no comando das prefeituras, e isso se deve em grande medida a uma lei aprovada em 2012 que estabelece a paridade de gênero na apresentação das listas de candidaturas às eleições municipais. O país aumentou a taxa de mulheres prefeitas de 8.6% em 2008, ano de suas penúltimas eleições locais, a 40.1% em 2012, quando ocorreram as últimas eleições municipais e a lei de paridade já se encontrava em vigência.

Uruguai, um dos únicos seis países da região com taxas superiores a 20%, alcançou sair da completa ausência de mulheres nos postos máximos do executivo local em 2005 para 24.7% de mulheres prefeitas em 2010.