You are here

Mortalidade materna

América Latina e Caribe (31 países): Razão de mortalidade materna segundo estimativas do Grupo Inter-Agencial (MMEIG), 2017 (Por cada 100.000 nascidos vivos)

Número de mulheres que morrem durante a gravidez ou nos 42 dias seguintes ao parto devido a qualquer causa relacionada com ou agravada pela gravidez mesma ou sua atenção, por cada 100.000 nascidos vivos para um dado ano, em um determinado país.

América Latina e Caribe (36 países): Razão de mortalidade materna segundo dados informados pelos países à Organização Panamericana de Saúde, último ano disponível (Por cada 100.000 nascidos vivos)

Representa a morte de uma mulher durante a gravidez ou dentro dos 42 dias seguinte ao término desta, seja qual for a duração e local da gravidez, devido a complicações da gravidez, parto ou puerpério (ex.: qualquer causa relacionada ou agravada pela própria gravidez ou sua atenção), mas não por causas acidentais ou incidentais.

Análise

A medição da mortalidade materna é um processo complexo e os datos provenientes das distintas fontes disponíveis não necessariamente coincidem entre si. Com fins de comparabilidade entre os países no marco dos ODM, o Grupo Interagencial para a Estimação da Mortalidade Materna das Nações Unidas (MMEIG, na sigla em inglês) faz um cálculo da taxa de mortalidade materna para cada país. Esta informação nem sempre corresponde com a informação com que contam os países de acordo com seus próprios registros, a qual é coletada pela Organização Panamericana de Saúde (OPAS). Se bem os dados considerados para o seguimento dos ODS (e, anteriormente, os ODM) correspondam à informação fornecida pelo MMEIG, o OIG publica ambos dados.

A razão de mortalidade materna calculada pelo Grupo Inter-Agencial (MMEIG) para os países da América Latina e do Caribe, embora apresente um declínio significativo como média regional nos últimos anos, de 88 por cada 100.000 nascidos vivos em 2005 para 74 em 2017, mostrou altos e baixos no período, constatando que o problema ainda não foi completamente resolvido. De acordo com os dados do MMEIG, vários países da região ainda apresentam uma razão de mortalidade materna acima da meta 3.1 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que busca reduzir a taxa de mortalidade materna global para menos de 70 por 100.000 nascidos vivos até 2030.